Você sabe qual a diferença entre asma e bronquite?

 Muitas pessoas, e até mesmo alguns médicos, utilizam o termos bronquite como sinônimo da asma. Embora acometam a mesma região (vias respiratórias) e tenham sintomas parecidos, são duas doenças distintas. Este equívoco de nomenclatura ocorre em parte porque “bronquite” se tornou em termo mais popular para nomear uma doença que na verdade é asma. Na prática clínica vemos, nos consultórios, que as pessoas têm preconceito com o termo “asma”. Quando perguntamos: “Seu filho já teve e/ou têm asma?”. A maioria dos pais responde que não, mas quando questionados se o filho já teve e / ou têm bronquite, grande parte deles responde que sim. No imaginário popular “asma” é uma doença grave e estigmatizante, e por este motivo muitos médicos não falam com os pais que o filho tem asma, usando o termo bronquite.

A asma, também  conhecida como bronquite alérgica é uma doença crônica de causa  genética, com forte componente alérgico. Caracteriza-se pela inflamação nas vias respiratórias, que ficam mais estreitas e dificultam a respiração do paciente com episódios repetidos de tosse, chiado no peito e falta de ar. A exposição a fatores alergênicos, assim como fatores emocionais e climáticos também pode desencadear as crises. Em geral é mais comum em crianças, mas pode atingir pessoas de todas as idades.

Já o termo “bronquite”, isoladamente, significa apenas inflamação dos brônquios e é um termo pouco específico. Didaticamente dividimos a bronquite em dois subtipos: aguda e crônica é um quadro de inflamação prolongada das vias aéreas, estando associada à obstrução irreversível das mesmas. Praticamente, a maioria dos casos ocorre pelo efeito nocivo do cigarro nos pulmões. Acomete geralmente indivíduos adultos, que fumaram durante um longo período de suas vidas. Juno com o enfisema pulmonar, a bronquite crônica compõe o espectro da Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC). Os sintomas apresentados são a tosse com catarro, dificuldade para respirar e o chiado no peito.

Portanto, o melhor é usar os termos asma e bronquite corretamente, pois o uso errôneo destes termos faz com que as pessoas subestimem a doença e demorem a procurar um tratamento adequado. Desta forma, a informação tem um papel importante para melhorar a compreensão do paciente sobre a doença e o seu tratamento e, consequentemente, melhorar adesão às recomendações médicas, alcançando assim melhores resultados.

Escrito por

Comments are closed.