Perigos e cuidados das doenças respiratórias em viagens de avião

Há alguns anos atrás, viajar de avião era privilégio para poucos. Contudo, mais recentemente, impulsionado pelo crescimento da economia, melhor distribuição de renda e pelas facilidades nas condições de pagamento, o brasileiro aderiu de vez às viagens aéreas. Com a chegada das férias, as viagens de avião se tornam mais frequentes. Entretanto, raramente as pessoas se lembram dos cuidados da saúde que devem ser tomados antes e durante o vôo. Por isso, antes de viajar, preste atenção e siga os conselhos que podem ajudar a tomar sua viagem mais segura e confortável.

Asma – a asma brônquica é uma doença respiratória bastante comum, estando presente em aproximadamente 10% da população. Os asmáticos devem sempre levar na bagagem de mão seus medicamentos, especialmente os bronco dilatadores (bombinhas), pois estas em eventual necessidade podem propiciar o alívio imediato de uma crise.

DPOC – assim como os asmáticos este grupo de pacientes devem ter em mãos medicações para alívio. Os portadores de bronquite crônica e enfisema pulmonar apresentam uma capacidade reduzida de oxigenar o sangue, portanto podem precisar do uso de oxigênio durante a viagem. Com antecedência devem comunicar a companhia aérea escolhida, através de relatório médico e preenchimento do impresso disponível no site destas. É importante ressaltar que as companhias não fornecem oxigênio no terminal, nas escalas e quando o paciente precisar trocar de aeronave sendo responsabilidade do cliente.

Infecções pulmonares – os indivíduos com infecções pulmonares contagiosas (tuberculose e pneumonia) não devem viajar, pois pode ocorrer o agravamento da doença, complicações durante o vôo e risco de disseminação da doença para outros passageiros.

Otites – no caso de infecções ativas e cirurgias recentes o passageiro deve remarcar sua viagem.

Rinites e Sinusites – o ar frio e seco dentro da cabine gera um ressecamento da mucosa dos olhos e nariz, causando uma irritação podendo levar ao aparecimento de crises de rinite e até mesmo sinusites. Em função disto recomenda-se a maior ingestão de líquidos durante a viagem. Durante o vôo é recomendável a umidificação e limpeza da mucosa nasal com soro fisiológico e antes do procedimento de pouso o uso temporário de descongestionante, visando evitar a dor causada pelo aumento da pressão no interior dos ouvidos. Em caso de crise ou infecção, deve-se considerar postergar a viagem.

Trombose Venosa Profunda – o longo período de tempo em que o passageiro permanece imóvel pode favorecer o aparecimento de trombose venosa profunda que é a formação de coágulos no interior das veias. Este risco é aumentado pelo uso de sedativos ou de bebidas alcoólicas além de fatores individuais (uso de anticoncepcionais, gestação, obesidade, cirurgia recente e etc). Isto pode ocorrer durante ou após a viagem e desprendimento destes coágulos podem resultar em uma embolia pulmonar, condição potencialmente fatal. Medidas como o uso de roupas confortáveis, ingestão maior de líquidos, bem como exercícios com as pernas, podem evitar este tipo de evento.

Por fim, se você deseja viajar de avião não deixe de consultar seu médico, siga as orientações prescritas e boa viagem.

Escrito por

Comments are closed.