Entendendo a diferença entre gripe e resfriado

Não há como ignorar que uma parte do que somos sofre influências e tendências do ambiente em que vivemos. Com a chegada do outono/inverno, as doenças que atingem a garganta e o aparelho respiratório tornam-se mais frequentes, Nesta época, o maior agrupamento de pessoas em recinto fechado, as quedas de temperatura e o clima mais seco desempenham papel fundamental como facilitadores na transmissão de vírus e/ou bactérias. Todo mundo já teve gripe ou resfriado alguma vez na vida, mas você sabe diferencias um do outro? Apesar de ambas as doenças serem causadas por vírus, gripe e resfriado são problemas diferentes.

Resfriado – é uma infecção virótica predominante das vias aéreas superiores. Pode ser causado por diversos tipos de vírus, sendo o mais comum o Rinovírus. É extremamente contagioso e sua transmissão é feita através de aerossóis da tosse ou espirro e pelo contato direto das mãos infectadas. Os sintomas surgem 24 a 72 horas após a transmissão do vírus e costuma durar em média 5 a 7 dias. Os sintomas mais comuns são: tosse, coriza, obstrução nasal, espirros e vermelhidão dos olhos. As complicações são raras e incluem: crise de asma, sinusites e otites.

Gripe – é uma doença contagiosa causada pelo vírus Influenza. O modo de transmissão é semelhante ao resfriado. O tempo de doença pode ser de até 2 semanas e os sintomas mais comuns são: febre alta, dor de cabeça, dores pelo corpo, perda do apetite, dor de garganta e tosse. Ao contrário do resfriado, a gripe caracteriza-se por repercussão sistêmica importante e maior comprometimento do estado geral. Os sinais de gravidade da gripe são: a dificuldade respiratória, dor torácica ao respirar, alteração do nível de consciência, desorientação, vômitos persistentes e pressão baixa. A gripe também apresenta uma maior taxa de complicações, podendo levar a pneumonia ou até um quadro bacteriano mai grave.

O diagnóstico é habitualmente realizado com base nos sinais e sintomas, e, geralmente só são solicitados exames laboratoriais quando existem complicações associadas.

Qualquer indivíduo que queira melhorar suas defesas contra o Influenza pode receber a vacina. Esta é eficaz em prevenir a doença em 70 a 90% das pessoas, reduzindo os casos fatais em 85%. Ao contrário da crença popular, a vacina da gripe não causa gripe. Os efeitos colaterais existem, mas são extremamente raros e pequenos. As vacinas contra a gripe devem ser tomadas anualmente e os grupos prioritários para vacinação são: crianças com idade entre 6 meses e 2 anos; adultos com 60 anos de idade ou mais; indivíduos portadores de doenças crônicas (como asma, diabetes, problemas renais e pulmonares); gestantes no segundo ou terceiro trimestre de gravidez durante inverno, médicos, enfermeiros e todos os profissionais de saúde dentro e/ou fora dos hospitais.

Outras dicas para enfrentar melhor a gripe e os resfriados são: mantenha uma alimentação saudável; beba bastante líquido, procure dormir bem; mantenha a casa bem ventilada; evite aglomerações; lave as mãos com frequência; não use medicamentos sem orientação e procure um serviço médico se tiver dúvidas ou se ocorrerem complicações.

 

Escrito por

Comments are closed.