Cuidado com a gripe

A gripe é uma doença aguda que acomete as vias respiratórias, e ocorre quando o organismo é infectado pelo vírus influenza. Ela acontece em surtos ao longo do
ano, mas geralmente é mais frequente no inverno ou em períodos mais frios. A transmissão deste vírus acontece por via respiratória, geralmente pela inalação de partículas de secreção infectada em suspensão no ar. A gripe não complicada costuma melhorar em até 5 dias contados a partir do início dos sintomas, mas, em alguns casos, o quadro pode estender-se por mais de uma semana. Apenas um grupo pequeno de pessoas demora um período maior para se recuperar da “fraqueza” e do mal estar que sentem. De modo geral, a recuperação ocorre de forma rápida. Em pessoas vulneráveis, a gripe pode ser mais perigosa e evoluir para complicações como: pneumonias, insuficiência respiratória que se não diagnosticada e tratada a tempo pode levar o indivíduo a morte. Estão sob maior risco de apresentarem essas complicações: as crianças com menos de 2 anos, os adultos com mais de 65 anos, gestantes e pessoas que vivem em asilos ou instituições de saúde além de, portadores de doenças crônicas (por exemplo, diabéticos e pneumopatas).

Como a gripe é uma doença autolimitada, na maioria dos casos basta o tratamento sintomático, com analgésicos, antitérmicos, repouso e hidratação. Em determinados
casos, podem ser introduzidos medicamentos antivirais que, como sugere o nome, atuam especificamente sobre os vírus. Esses remédios só funcionam se forem administrados nas primeiras 48 horas a contar do início dos sintomas e cabe ao médico decidir quem pode beneficiar-se com sua indicação. Antibióticos não funcionam para tratar a gripe e são prescritos somente nos casos de eventuais infecções bacterianas, que podem advir como complicação do quadro.

A prevenção da gripe consiste em medidas relativamente simples: vacinação e cuidados básicos de higiene. No Brasil, a temporada de gripe ocorre geralmente entre abril e outubro, por este motivo, a vacina deve ser administrada antes deste período, afim de conferir a proteção esperada. O objetivo da vacinação é fazer com que a pessoa não contraia a infecção ou, caso isso ocorra, que tenha um quadro mais leve da doença, com
menor risco de complicações. A vacina é bem tolerada e os efeitos colaterais são geralmente locais (dor e inchaço no lugar da aplicação). Eventualmente, pode provocar um quadro semelhante ao de um resfriado comum. A vacinação deve ser repetida anualmente,
porque a vacina muda de acordo com as mutações (alterações) sofridas pelos vírus de um ano para o outro. As medidas de higiene úteis para a prevenção da gripe são simples: cobrir a boca quando tossir ou espirrar (para evitar a disseminação maior de partículas que carregam os vírus); manter as mãos limpas (lavá-las com água e sabão) para evitar eventual transmissão por contato; não compartilhar objetos de uso pessoal (incluindo alimentos, copos e toalhas), evitar ambientes fechados e com aglomerações.

 

 

Cristiano R Nogueira
Pneumologista reconhecido pela
Sociedade Brasileira de Pneumologia
e Tisiologia (SBPT) Doutorado
pela Universidade Federal do
Estado de São Paulo (UNIFESP)
www.pulmonare.com.br

Escrito por

Comments are closed.